Escola de verdade, mas já?

A Valentina tem 3 anos e 4 meses. É uma “preschooler”, como eles chamam por aqui. Vai pra escolinha, onde fica o dia todo, das 7 da manhã até às 5 da tarde.

Lá, ela passa o dia brincando, correndo, fazendo atividades, aprendendo letrinhas. Almoça, brinca no parquinho, faz a soneca sagrada de todos os dias.

Pela lei, ano que vem ela já começa a escola regular. Vai pro kindergarten no ano em que completa 5 anos. Tudo seria tranquilo se não fosse alguns detalhes: o aniversário dela é só no final do ano, então ela começaria na escola – em setembro – com 4 anos e meio. Só eu estou achando muito pouco pra ficar na escola o dia inteiro (as aulas são das 9:00 às 3:00 da tarde), sem soneca, já alfabetizada?

Fui pesquisar mais sobre isso e descobri que meu distrito escolar (Coquitlam School District – SD43) permite que espere mais um ano para ela começar. E isto é particularmente beneficial para as crianças que fazem aniversário depois de setembro.

Costumo dizer que, se a Valentina tivesse nascido de 40 semanas e 2 dias, ela já seria de janeiro, ou seja, as chances dela ser a mais nova da classe são grandes.
Em março, o  jornal Vancouver Sun publicou uma matéria interessantíssima sobre a ligação entre transtornos de atenção e a idade das crianças. A matéria mostra que, das crianças “diagnosticadas” com ADHD (Attention Deficit and Hyperactivity Disorder) são normalmente as crianças mais novas da turma. Por que? Muito provavelmente porque numa turma onde a diferença pode ser de até um ano, o grau de atenção e concentração pode variar demais.

Como esperar que uma criança de 4 anos e meio tenha o mesmo nível de concentração que o coleguinha que tem quase 6 anos e está na mesma sala? Parece óbvio, mas não é. Muitas crianças começam a escola novinhas e não tem problemas, mas imagino que possa ser a exceção.

Eu mesma fui uma criança adiantada em relação aos meus colegas. No começo, foi fácil, como costuma ser mesmo. Porém, aos poucos, as dificuldades começaram: ficava de recuperação todo ano até que, na 5a. série, repeti. E sinceramente, foi a melhor coisa. Mudei de escola, e não fiquei mais de recuperação até o colegial.

Outra coisa que me preocupa é bullying. Será que o fato dela ser a mais nova da turma não poderia causar problemas com as outras crianças? Ela vai ser mais imatura que os coleguinhas, talvez estes não tenham paciência com ela ou achem-na muito “infantil” pra eles. Tá, são suposições, eu sei. Nada disso pode acontecer, ou pode acontecer mesmo mais tarde, não temos como adivinhar.

Ontem estava lendo uma matéria edição de março da Today’s Parents justamente sobre isso, se era válido esperar mais um ano. E a grande maioria dos pais e especialistas entrevistados concorda que sim, é melhor esperar. Os motivos, além dos já citados, vão da maturidade emocional até a necessidade da soneca à tarde e o estresse de ficar o dia todo na escola, sem descanso. Por outro lado, muitos pais justificam a entrada no kindergarten como um rito de passagem para a “escola de verdade”, na 1a. série. Dizem que o kindergarten é como se fosse uma creche pra crianças maiores, que não há imposições acadêmicas e que, claro, tem o fator econômico, já que os pais economizam na creche (que pode chegar a mais de CAD$1500 por mês aqui em Vancouver).
Claro que o fator dinheiro mexe, e muito, com nossas convicções. Mas é um ano. Não estamos falando de gastar uma fortuna por mais 10 anos, mesmo porque apesar da escola ser gratuita, ainda há o “after school program”, para crianças de até 12 anos, cujos pais trabalham o dia todo e não podem buscá-los às 3 da tarde. E isso também custa dinheiro, na faixa de CAD$400 por mês.
Vou observando a pequena ao longo deste ano e ver como ela amadurecendo. Pode ser que até ano que vem, eu mude de idéia e ache que ela está pronta pra começar a escola “de verdade”…

Advertisements

3 thoughts on “Escola de verdade, mas já?

  1. Eita, Fê, mas você tá bem adiantada! Eu ainda não parei pra pensar nisso não! hahahahah Alice faz aniversário em outubro, ou seja, logo no início do ano letivo. Ainda não pensei muito no assunto, mas confesso que estava aliviada em pensar que ela já ia pro kindergarten no ano que vem, pra aliviar o bolso da creche! 🙂

  2. Oi Fernanda

    POis é, sabe que tenho 1 aluninho de 5 anos agora que so esta indo para o Kindergarden em setembro. Ano passado a mae dele optou por deixa-lo na escolinha um ano pois ele era muito imaturo, nao demonstrava interesse em aprender o alfabeto, nao tinha maturidade emocional tambem, social com os amiguinhos. Hoje conhecendo-o entendo, ele ainda é um pouquinho imaturo, mas ate setembro ja estara no ponto para a escola, quando que ano passado ele teria dificuldades.

    Minha colega de trabalho, tb professora tem 1 filha no kindergarden e ela diz que eh muito puxado comparado a uma escolinha, o kindergarden daqui nao eh como uma pre-escola no Brasil (antes da primeira serie), é puxado nas atividades e no aprendizado e ela disse que fica surpresa em ver certas coisas que eles fazem, pois afinal, as criancas sao pequenas, mas enfim, todos sobrevivem ao KG.

    Depois quero ver a sua decisao!

    Beijocas da Rita

  3. Nesse ano escolar a Malu teria 4 anos e 5 meses (aqui em AB o certo seria 4 anos e 6 meses), todos me dizem que eu deveria dar um jeitinho e colocar ela logo na escola. Mas eu vejo que ela ainda nao esta preparada (pouco vocabulario, alguns fonemas nao desenvolvidos, coordenacao motora e por ai vai).
    DEcidi que Malu vai em 2013 e pronto! Ela tem a vida inteira pra estudar!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s