É cada uma…

Cena 1:

Fiz pão de queijo em casa. Valentina, olhando as bolinhas na assadeira, decidiu que eram ovos.
Ela: Ovo!
Eu: Não, Valentina. É pão de queijo, não é ovo.
Ela: Páo queso?
Eu: Isso. Pão de queijo!
Ela: ovo queijo!
Eu: …..

 

Cena 2:

Com a chegada do friozinho, tirei do armário as meia-calças da Valentina, para que ela possa continuar usando os vestidos que tanto adora.

Mostrei pra ela e perguntei o que era isso. Ela disse que era calça.

Eu se não parecia uma meia. Ela olhou e disse “meia”.

Aí expliquei era uma meia-calça. Ela não teve dúvidas: todo dia pede pra pôr a “calça-meia”…. ;-)

Pavor de lavar a cabeça. O quê eu eu faço?

Cá estou eu precisando de ajuda com dona Valentina. De um tempo pra cá (quase 1 ano) tem sido cada vez mais difícil lavar a cabeça dela. Ela simplesmente tem um ataque de nervos toda vez que tento lavar. Não estou falando de manha simples, mas de pavor. Hoje mesmo, foi ela sentir a água encostando no cabelo dela, que ela PULOU da banheira, gritando, chorando muito, completamente agarrada em mim, tentando sair da banheira (escalando a parede). A muito custo consegui acalmá-la, mas não consegui lavar a cabeça. Já tentei um monte de coisas mas nada deu certo:

  • entro na banheira com ela pra tomarmos banho juntas
  • deixo ela lavar a minha cabeça
  • damos banho e lavamos a cabeça dos brinquedos dela
  • mostrei livros sobre o assunto (inclusive um que comprei semana passada sobre um bebê que adora banho mas chora na hora de lavar a cabeça)
  • mostro desenhos e comento quando o personagem favorito dela tá lavando a cabeça
  • uma amiga minha já tentou dar banho

E em todos os casos, só de comentar isso ela já fica completamente tensa, para de falar de falar na hora.

Ela tava dando trabalho pra entrar na banheira, agora melhorou, brinca numa boa no banho. O problema é na hora de lavar a cabeça. Hoje o stress foi tão grande que chorei de nervoso. Não sei mais o que eu faço.

 

UPDATE: Continuamos na mesma. Já tentei de tudo quanto é jeito, chuveirinho, chuveirão, baldinhos, deixar ela mesma molhar, o pai, outro banheiro, outro horário, conversar, mostrar vídeos, música, livros.

Da última vez, ela decidiu molhar o cabelo sozinha. Chorando HORRORES, mas molhou e passou o shampoo. Agora nem isso. Levei na piscina e se divertiu um monte, nem parece a mesma criança. Vai entender?

Cortei o cabelo da minha filha

Tivemos um “acidente” dia destes e precisei fazer uma franja nela. Ficou aquela coisa linda de mãe com coordenação motora zero. :razz:

Claro que salvei, né?
Mamãe, eu te amo, mas não corta meu cabelo sozinha de novo, não, tá?

Aí hoje criei coragem e fomos pro cabelereiro pela primeira vez na vida. E não é que ela nem chorou?

Terminando de cortar... ainda tava de bom humor!

Ai, eu sofro

Tô me preparando pra ir deitar, agora há pouco, quando vejo, atrás da mesa de jantar umas “coisas esquisitas”. Cegueta e sem óculos, achei que eram folhas secas (pensa!). Fui ver e vi que tinha sido premiada. Tinha cocô espalhado no chão, na parede, no rodapé branco!!

Aaaaaaaaaarghhhhhhhhhhh!

A Valentina tinha feito um cocô imenso no final do dia, que realmente, saiu da fralda (e sujou a capa do sofá que eu lavei ontem). Mas daí a ir parar cocô do outro lado da sala?
Ou vazou um monte e eu não vi ou, ECA, ela mesma tirou.

Agora, quase meia-noite, voltando pro trabalho depois das férias no dia seguinte, ninguém merece ficar passando pano na sala pra tirar cocô seco. ECA ECA ECA ECA ECA ECA!

730 dias

Num dia frio de 5a. feira, chegamos em casa com um embrulhinho. Sentamos no chão e te apresentamos pro seu irmão. Você só tinha 2 dias de vida. Ele cheirou de longe, mas não quis chegar perto. Aliás, ficou com ciúmes e me ignorou por 2 dias. Nem olhava na minha cara.

Você, em compensação, só queria colinho. Colinho de mãe, colinho de pai. Tem coisa melhor? E você foi crescendo tão rápido! Quando menos esperava, estávamos cantando parabéns pra você!

Esse ano você aprendeu a andar e agora, corre, sobe pelas paredes, foge de casa, brinca de pega-pega. Você já tem a sua rotina na creche. Depois de umas semanas passando por uma crise de separação, agora você me expulsa de lá. Chegamos, você diz “tau mami” e me leva até a porta. Fica dando tchau até fechar a porta pra mim. Fico feliz em saber que você adora lá.

Você cresceu tanto! Quem te conheceu quando você era recém-nascida, lembra de como era pequetita. Demorou muito pra você começar a ganhar peso. Com 6 meses, você tinha uns 6kgs. Agora, já pesa 14kgs (um chumbo!) e está super alta. Sim, você já passou da metade da altura da mamãe. Mais meio metro e você já me passa!

É, minha pequena, o tempo passa muito rápido! Você fala mais que a boca, apesar de não entendermos nada, rs. Você gosta de cantar “pintinho amarelinho”, “twinkle twinkle little star”, “happy birthday to you”, “abc”…tem gosto musical apurado e adora quando papai pôe rock no youtube pra você assistir.

Come sozinha, adora uma comida! Adora “nanas”, “agi” e “nham nham” (bananas, oranges e almoço/jantar). Sabe sinalizar leite (usando linguagem de sinais) e “quer”. Diz “ei quei” (eu quero), “pis” (please), “wow”, “oh-oh”, “ush-ush” (brush), “eiou”(thank you), “tau”, “bye”, “aiii” (pode ser oi ou bye, ainda não descobrimos), “dola” (Dora), “éuo”(Elmo), “náu” (não) e yeah. Fala os números em inglês, numa ordem totalmente aleatória (two, five, three, ten). Tenta repetir tuuuudo o que falamos e sai umas coisas engraçadas. Agora deu de repetir quando digo “hum-hum” (sai algo como u-u).

Você é carinhosa, adora dar um abraço e beijos. Mas também tem seus momentos de “terrible twos”, distribuindo tapas. Pode ser em mim, no papai ou até mesmo no espelho. Graças a Deus, ainda não esbofeteou ninguém na creche e estamos trabalhando pra que esses episódios diminuam.

Você adora ajudar. De manhã, sentamos no chão pra pôr os sapatos e você me ajuda a levantar. Quando chegamos na creche, você guarda seus sapatos e pega os outros pra vestir lá dentro. Já sabe onde colocar seu casaco. Está super independente.

Dois anos, numa 5a. feira, tenho aqui comigo uma menininha linda. Alegre e faceira, adora uma farra. Vamos ao Aquarium para comemorar seu aniversário de 730 dias de vida.

Feliz aniversário, minha princesa.

Te amamos muito,
Mami, Baba e Eithor

Carta pra Valentina – 23 meses

Minha menininha linda, você chegou aos 23 meses. Já! Parece que foi ontem que papai e mamãe chegaram do hospital com você, debaixo de uma tempestade de neve.

A primeira coisa que fizemos, foi apresentá-la ao Eithor. Não foi uma recepção muito calorosa, assim digamos. Ele me ignorou por uns dias.

Hoje, você sai pela casa chamando “Eitiii”. Acha os pedacinhos de ração escondidos pela casa e leva até ele. Tenta abraçá-lo e pegá-lo, como se fosse um ursinho de pelúcia. Mas ele não é ursinho de pelúcia e não gosta muito desse seu jeito meio estabanado de ser. Então, de vez em quando, tenho que apaziguar as coisas: “Valentina, pára de correr atrás do Eithor” e “Eithor, pára de rosnar pra Valentina”.

Você anda falando pelas paredes, apesar de ainda não formar frases. O seu “não” é em português e o “sim”, é em inglês. Isso porque o “não” é muito mais difícil que o “no” (seu pai que o diga, quando tenta falar e sai um “nón”).  E sim, o “não” é sua palavra favorita ultimamente, só perde pra Dora. Você sabe dizer que quer descer do cadeirão, quando quer ver seus desenhos da Galinha Pintadinha, quando quer comer “nana” (banana), “api” (apple), toast. Entende tudo o que eu falo em português, embora de vez em quando tenha que usar uma ou outra palavra em inglês (time-out, por exemplo). Fala oi e hi, tchau e bye. Sabe o que é beijo, buz bede e kiss. Sabe os nomes de todos os seus amiguinhos da creche. Sua amiga favorita é a Aram. Ela já tem quase 4 anos e te adora.

Continua comendo um monte e dou graças que você não é nem um pouco chata pra comer. Come de tudo e com gosto. Só não gosta de mamão, blueberries e salmão defumado. Até pickles, se deixar, você come um monte. Outro dia, seu pai estava fazendo a salada dele e você quase comeu metade: pepino, alface, queijo de cabra. Não é à toa que você está tão grande! Na última vez que a medimos, você estava com 89cm e uns 14kgs. Grandona. E pensar que você era um toquinho de gente quando chegou em casa!

Você entrou na fase de que tudo é seu. Vive falando “this is mine!” e tira os brinquedos dos outros. Aos poucos, tem aprendido que não é bem assim, que todo mundo pode brincar também. Mas é difícil, né? Conto até dez e mentalizo que é só uma fase e que vai passar. Até o coitado do Eithor já entrou nessa. Ele estava dormindo no sofá, ao lado do seu urso. Quando você viu, saiu correndo, gritando “this is miiiiiiiine” e arrancou o urso de perto do Eithor. Não, isso não é legal, mas a gente tem tentado te ensinar como as coisas funcionam.

Anda cheia de opinião, quando quer algo e não damos é choro na certa. Outro dia, porque a mamãe teve que trocar a sua blusa, você ficou sentada no chão por quase 10 minutos, de braços cruzados e cara feia, dizendo “não,não,não,não,não,não,não,não,não,não,não,não,não”. Eventualmente você esqueceu e voltou a fazer palhaçada.

Aliás, se tem uma coisa que não posso reclamar, é do seu bom humor. Você está sempre rindo e se divertindo. Sempre acha algo pra brincar aqui em casa e, quando menos esperamos, vem correndo pra nos abraçar. Se a mamãe está andando, você pega na minha blusa e faz “bi-bi” e vamos brincar de trenzinho. E você morre de rir.

Estou impressionada o quanto você já entende muita coisa. Se você joga algo no chão, peço pra pegar do chão e me dar. E você faz isso! Quando vamos sair, você escolhe seu sapato e tenta calçá-los. Depois de uns minutos, eu pergunto se você quer ajuda, e você sempre diz “yes”. Depois disso, você pega o sapato que a mamãe vai usar (escolhido por você!).

Se tem algum papel pra jogar fora, você vai até a cozinha, abre o armário e joga no lixo. Claro que muitas vezes, você quer pegar de volta e tenho que te explicar que não pode.

Outro dia, você pegou um saco plástico, pôs a mãozinha dentro e ficou brincando de “catar” coisas no chão. Exatamente como a gente faz quando sai com o Eithor. Depois muita gente fica pensando em como vocês aprendem as coisas, né?

Mês que vem é o seu aniversário. 2 anos! Decidimos não fazer festa. Vovó não está aqui esse ano, e nós vamos viajar pra casa da tia Lu no natal. Então vamos fazer um bolinho aqui em casa mesmo. Você ainda não sabe o que é festa de aniversário e nem pede brinquedos. Resolvemos que faremos festa mesmo, só quando você pedir e já souber o que é isso. Dá pra se divertir igual!

Minha pequena, você está cada dia mais linda e mais esperta. É uma criança carinhosa e está sempre ligada nos 220v. Apesar disso, é tranquila, não é de chorar, dorme super bem! Feliz 23 meses!

20 meses

Tenho uma tagarela em casa! Repete tudo o que a gente fala. 96% é ininteligível, claro, mas ela tenta! 🙂

Tá super independente, acorda de manhã, desce da cama e vai me acordar. Sobe e desce do sofá a vontade.

Aprendeu a apontar pro bumbum quando faz cocô. E fala “mumumum” (bumbum).

Aliás, tá falando:

mami, dadai, tata (vovó) gimepi (give to me please), dank (thank), mine, eiti (eithor), pis (please), nán (não, not), êqué (eu quero), iwa (I want) e os gibberishes que ela fala e tem certeza que é algo (na cabeça dela, claro). Ontem foi assim: arros (“aoo”), carne (“aca”) e batata (“atata”). Valentina é “didi”.

Corre pra cima e pra baixo, ligada no 220v 24hrs por dia!

Deu pra odiar lavar a cabeça. Antes chorava horrores pra tomar banho, agora tá curtinho. Descobri que ela gosta de água mais fria que quente (ao contrário da mãe que ama um banho bem quente!). Hoje mesmo chorou porque viu a piscina e queria entrar (tá resfriada, não pode!).

Dá a mãozinha na rua, principalmente na garagem.

Tem um cobertor favorito, mas não é único. Se não tiver ele por perto, não tem problema.

Consegue se divertir sozinha. Tá sempre achando algo pra fazer em casa. Ou pra destruir, depende do ponto de vista.

Outro dia mesmo, destruiu a casa em 10 minutos. Primeiro, arrancou a bonequinha de madeira que fica na parede dela. Tava arrumando e ela virou o humidificador de ar no carpete. Encharcou tuuuuuuudo. Fui secar e ouvi barulho na cozinha: ela pegou toda a ração do Eithor, virou no pote de água dele, virou o pote de água no chão e comeu metade da ração. Catei com a boca cheia de ração molhada/mastigada. Eca! Tô secando a cozinha e ela sobe na mesa de centro. Fica em pé lá gritando a la Leonardo di Caprio em Titanic…

Ouve uma música e sai dançando. Dá tchau pra tudo e todos (até pro carro passando do outro da rua).

Adora os bichos de pelúcia e carrega-os para cima e para baixo. Um deles é maior que ela, outro parece o Eithor.

Falando em Eithor, ela acha que ele é boneca pra ser agarrado. Claro que ele não gosta e dá um “chega-pra-lá” nela. Agora, ela dá tchau  e manda beijo pra ele antes de saírmos de casa.

Em 4 meses essa mocinha vai fazer 2 anos. Alguém pára o tempo por favor?

Não dá vontade de morder?